Publicações

14/07/17

Transgênero e parceiro esperam 1º filho biológico nos EUA

Juntos há sete anos, Trystan Reese e seu parceiro, Biff Chaplow, esperam o nascimento do primeiro filho biológico neste mês de julho, em Portland, em Oregon, nos Estados Unidos. O que chama a atenção da imprensa internacional para a história é que Trystan, de 34 anos, é transgênero.

“Eu tive sorte. Apesar da queimação no estômago, tudo está bem”, afirmou ao jornal francês “Paris Match”. Ele não revelou o nome do bebê, um menino, que deve nascer em breve.

Trystan contou que estava no ensino médio quando iniciou a transição. Ele decidiu mudar de nome e começou a tomar hormônios. “Eu dizia que eu era um homossexual em um corpo de mulher. Eu comecei a tomar testosterona e meu corpo começou a mudar. Emocionalmente foi muito difícil, mas em seis meses eu era um homem”, afirmou.

Ele ressalta que nunca quis ter um corpo exatamente igual ao do parceiro e, por isso, não fez a cirurgia para redesignação do órgão sexual. “Eu nunca quis que o meu corpo não fosse um corpo de transexual. Eu estou bem sendo um homem que tem útero, que tem a capacidade de ter um bebê”, afirma no vídeo postado no Facebook do casal e reproduzido pela rede americana CNN.

Fonte: G1

Publicações relacionadas

14/07/17

Transgênero e parceiro esperam 1º filho biológico nos EUA

Juntos há sete anos, Trystan Reese e seu parceiro, Biff Chaplow, esperam o nascimento do primeiro filho biológico neste mês de julho, em Portland, em Oregon, nos Estados Unidos. O que chama a atenção da imprensa internacional para a história é que Trystan, de 34 anos, é transgênero.

“Eu tive sorte. Apesar da queimação no estômago, tudo está bem”, afirmou ao jornal francês “Paris Match”. Ele não revelou o nome do bebê, um menino, que deve nascer em breve.

Trystan contou que estava no ensino médio quando iniciou a transição. Ele decidiu mudar de nome e começou a tomar hormônios. “Eu dizia que eu era um homossexual em um corpo de mulher. Eu comecei a tomar testosterona e meu corpo começou a mudar. Emocionalmente foi muito difícil, mas em seis meses eu era um homem”, afirmou.

Ele ressalta que nunca quis ter um corpo exatamente igual ao do parceiro e, por isso, não fez a cirurgia para redesignação do órgão sexual. “Eu nunca quis que o meu corpo não fosse um corpo de transexual. Eu estou bem sendo um homem que tem útero, que tem a capacidade de ter um bebê”, afirma no vídeo postado no Facebook do casal e reproduzido pela rede americana CNN.

Fonte: G1

Publicações relacionadas

Todos os direitos reservados ao autor 2016.
Todos os direitos reservados ao autor 2016.
Fechar